Toda percepção do mundo e do próprio corpo passam pelo cérebro, e esse órgão incrível é influenciado por vários estímulos. A música é um deles. Ela leva o cérebro a produzir uma dosagem poderosa de dopamina.

A dopamina costuma ser descrita como responsável por sentimentos como amor e luxúria, mas também já foi tachada de ser viciante. Daí sua descrição como “mediadora do prazer”. “Baixos níveis de dopamina fazem que pessoas e outros animais sejam menos propensos a trabalhar para um propósito”, afirmou John Salamone, professor de Psicologia na Universidade de Connecticut (EUA), em estudo sobre efeitos da dopamina no cérebro publicado em 2012 na revista Neuron. Por isso, acrescentou o pesquisador, a dopamina “tem mais a ver com motivação e relação custo-benefício do que com o próprio prazer.” O certo é que essa substância química é acionada quando se dá o primeiro passo rumo a um objetivo e também quando a meta é cumprida. Além disso, pode ser gerada por um fato da vida cotidiana (por exemplo, encontrar uma vaga livre para estacionar o carro) ou algo mais excepcional (como receber uma promoção no trabalho). A melhor maneira de elevar a dopamina, portanto, é definir metas de curto prazo ou dividir objetivos de longo prazo em metas mais rápidas. E celebrar quando atingi-las.
Fonte: BBC Brasil.

Foi comprovado que a música é capaz de mudar nossa percepção, aguçar a atenção, melhorar nossa capacidade de raciocínio, proporcionar sensação de prazer e também de tédio. A NEUROCIÊNCIA comprova isso!

Um recente estudo realizado pela britânica Mindlab – organização focada em estudos referentes ao impacto que a comunicação exerce sobre o nosso cérebro – montou uma playlist sob medida para quem busca combater a ansiedade.

Para eleger as 10 músicas, cientistas analisaram um grupo de voluntários enquanto eles realizavam tarefas de lógica o mais rápido possível.

Tais atividades foram elaboradas para induzir certos níveis de stress e as pessoas analisadas escutavam a uma série de músicas enquanto tentavam resolvê-las.

Através de uma série de sensores, os cientistas puderam medir a atividade cerebral de cada voluntário, além de obter informações fisiológicas como batimentos cardíacos, pressão sanguínea e o ritmo da respiração.

A música que encabeça o ranking é Weightless, do grupo Marconi Union. Não por acaso, essa faixa foi composta em parceria com a British Academy of Sound Therapy, justamente para proporcionar relaxamento.

Segundo o estudo realizado pela Mindlab, o som de Weightless é capaz de reduzir a ansiedade em até 65%. Propositalmente, “weightless” em inglês significa “sem peso, muito leve”.

O Marconi Union é focado em música ambiental e realiza estudos para compor suas músicas, mas a playlist da pesquisa também inclui canções bem menos engenhosas. Até Adele entrou no ranking, com o hit Someone Like You.

Confira aqui as 10 faixas que, segundo a ciência, podem diminuir a sua ansiedade:

1. Weighless (Marconi Union)

2. Electra (Airstream)

3. Mellomaniac – Chill Out Mix (DJ Shah)

4. Watermark (Enya)

5. Strawberry Swing (Coldplay)

6. Please Don’t Go (Barcelona)

7. Pure Shores (All Saints)

8. Someone Like You (Adele)

9. Canzonetta Sull’aria (Mozart)

10. We Can Fly (Café Del Mar)

Fonte: Exame.

 

Eu, Agda Marianne, portadora do transtorno de ansiedade (TAG), testei numa crise e aprovei. Funciona mesmo! Obrigada, ciência.